Outros Papos, Primeira vez, Testamos (e Aprovamos?)

Com insônia mas grata

Foto: https://amenteemaravilhosa.com.br

Hoje eu havia prometido a mim mesma que iria não iria dormir tarde, para acordar cedo, disposta e aproveitar o dia. Bem, teoricamente, estou indo dormir cedo: quase 4 da manhã…ai, ai, ai…

Já vou dormir mas quero dividir uma coisa que eu achei, fuçando no canal do YouTube da brasileira Flavia Calina. Eu já conheço o trabalho dela faz tempo, a acho uma graça de pessoa, um baita exemplo de mãe, profissional, imigrante que deu certo. Mas esta ideia, em particular, me pegou, porque foi um tema muito recorrente na minha vida, no ano passado (olha isso, 2016 já é passado!): gratidão.

Ser grata, por tudo, realmente me ajudou muito, em vários momentos de perrengue que passei. Inspirada numa outra brasileira que gosto bastante, a coach Paula Abreu, comecei um caderno de gratidão onde todos os dias escrevo três coisas às quais sou grata. Todos os dias. O meu eu faço pela manhã, quando chego na oficina ou antes de começar a escrever, quando trabalho de casa.

É um exercício fabuloso porque às vezes você acha que não tem nada a agradecer mas ao colocar no papel, percebe que tem mais do que imagina. Outras vezes, tem tantas bênçãos para contar que não quer parar só nas três mandatórias. Em algumas situações, quando o negócio estava feio e eu tive que “torcer” para arrancar três graças magrelinhas, eu me dei conta que todas elas se referiam à mesma situação, à mesma pessoa, e eram tão pequenas aos olhos de outrem, mas me faziam tão feliz: a minha filha.

O simples fato de ela se levantar todas as manhãs, estar viva, já me deixa feliz. Um sorriso, um abraço inesperado, eu pegá-la me fitando da cadeirinha dela, no carro, enquanto dirijo. Uma palavra em português que ela aprende, a cara de feliz quando me vê chegando na escola para buscá-la. Mesmo que eu tenha chorado o caminho inteiro, do trabalho até ali, é só eu vê-la, de braços apertos, correndo para mim e pronto, felicidade instantânea!

A ideia da Flavia é um pote de bênçãos que você vai enchendo no decorrer de um ano e abre no final, em dezembro, para refletir sobre cada uma delas, revivê-las, agradecer um pouco mais, por que não?

No video, ela fala da tradição de agradecer que os americanos têm, quando alguém faz alguma coisa, tipo o marido que fez algo em casa para você, sua filha, etc. No Canadá também é assim. E é muito engraçado porque eu pensei nisto ontem à noite, antes de ver o video, quando eu brincava com a Alicia. Estávamos brincando com uma mola que ela jogava de cima da escada para mim, que estava embaixo, e a cada vez que eu devolvia o brinquedo para ela (umas vinte vezes…), ela dizia: “Thanks, mommy“. Realmente, isso é muito comum por aqui e um gesto que eu quis aprender e cultivar dentro da minha família. Faz bem.

Eu vou começar meu pote hoje mesmo, assim que acordar.

Que a primeira gratidão seja não ter acordado com muitas olheiras!

Leave a Reply

Required fields are marked*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.