Com eles, Primeira vez, Toronto, Viagens & saidinhas

Sabia que Toronto tem um Wet’n’Wild?

Ainda novidade para muita gente, mas o verão em Toronto alcança temperaturas tão extremas quanto seu inverno, só que no lado positivo, literalmente. Enquanto amargamos com -40º durante o inverno, no verão, somos “recompensados” com 40º, na sombra! É quando rezamos para podermos estar num lugar exatamente assim:

Este é o parque aquático Wet’n’Wild Toronto que fica na cidade vizinha, Brampton, a 30 quilômetros ou meia hora, de carro, do centro de Toronto.

Fomos conhecê-lo no sábado do feriado prolongado do Dia do Canadá, no começo de julho, quando os termômetros registravam temperaturas na casa daqueles 40 graus escaldantes que eu mencionei no começo do texto.

Talvez por ter sido feriado, o parque não estava lotado. Tinha bastante gente mas não ao ponto de nos sentirmos incomodados. Deu para brincar perfeitamente nos brinquedos e piscinas infantis e, nas atrações para adultos, ficamos menos de meia hora na fila, nada comparado à uma hora e meia de espera para comprar batata frita num dos quiosques!

Neste dia aconteceu o Media Day, quando o pessoal de imprensa, blogs e influenciadores são convidados para conhecer o parque. Fiquei feliz de participar do evento e encontrar outros brasileiros por lá, entre eles a querida Sandra e sua família, do blog Vamo Kombiná no Canadá.

Olha a gente aí eternizando o momento!

Um pouco de história

O complexo existe desde 1980, quando era chamado Sunshine Beach e, mais tarde, Wild Water Kingdom, antes de fechar as portas em 2015, capenga, precisando de reformas.

Em 2016, foi adquirido pela empresa que controla o nome Wet’n’Wild na América do Norte, que investiu 25 milhões de dólares em sua revitalização, reabrindo-o sob a batuta da marca em julho do ano passado.

Eu não o conhecia antes da aquisição mas, assim que cheguei, olhando-o de fora, não me pareceu estar entrando num parque novinho em folha, que tivesse acabado de passar por tamanha recauchutagem. Enquanto seu entorno é limpo, com brinquedos novos e bem cuidados, que é o que realmente importa, a área do parque em si, suas instalações, me remeteram à uma vibe meio anos 80, com trilha sonora acompanhando que, nesse caso, eu amei!

Separei a experiência em “Curtimos” e “Pode melhorar”, com o pitaco de toda a família: eu, Alicia e maridão!

Curtimos

Os espaços destinados para crianças pequenas (altura abaixo de 48″, o equivalente a 1,20 m de altura), como: a piscina Wet’n’Wild Junior, enorme e rasinha, equipada com escorregadores e chafarizes imersos nela, além dos tobogãs com caída perfeita para o tamanho da criançada.

A Alicia subia a rampinha de acesso aos tobogãs sozinha e nós ficávamos embaixo, esperando. Tudo muito seguro, com 100% de visão sobre ela e, tanto lá em cima, no topo do tobogã, como na descida, as crianças eram sempre auxiliadas por alguém do staff.

Apreensão, expectativa: foi, foi, foi, medinho, medão, sentiu-se segura, relaxou e todos sorriram. Final feliz!

Outro brinquedo que todos nós gostamos foi o Bear Footin Bay. Com esguichos de água saindo de tudo quanto é lugar, chafarizes, escorregadores e o balde gigante, despejando uma cascata refrescante de água nos sortudos que estão lá embaixo, garante horas de diversão e, claro, foi onde a Alicia mais ficou. O bom desta atração é que dá para os adultos interagem com seus filhos pequenos, descendo, junto com eles, nos tobogãs, não tão curtos como o do Wet’n Wid Junior, nem tão radicais quanto os demais brinquedos.

O Big Surf é a piscina com ondas mansinhas mas altas nas partes mais profundas. Ficando no rasinho, dá para levar criança pequena sem problema.

E quem disse que Toronto não tem praia?!

Ainda há outra piscina normal, a Coconut Cove, próxima ao bar, que vende bebidas alcoólicas. Bom para relaxar e nadar de verdade. Para a minha surpresa, foi uma das atrações que a Alicia mais gostou, apesar da temperatura da água, congelante! O parque fornece colete salva-vidas para as crianças, mas eu aconselharia levar bóias de braço para os mais pequenos como uma segunda opção.

Para os adultos, só conseguimos ir em quatro atrações porque, como diz minha querida amiga Ana Eleonora, família pequena tem de ficar revezando quem fica com a criança, feito troca de guarda!

Fui no Klondike Express, uma das sensações do parque, onde você escorrega através de um tubo, de barriga pra baixo e de cabeça, deitado num tapetinho (similar ao R4lly, do Wet’n’Wild São Paulo). Lá de cima dá medinho, tenho que admitir, mas a caída é tão rápida que nem chega a ser radical e assustador quanto parece. Mesmo assim vale a pena, dá vontade ir de novo. O final do tubo é aberto e longo como uma pista, dando a impressão de que estamos apostando corrida com quem está do lado. Altura mínima: 1 m.

Grudado a ele está outra atração-estrela do parque: o Oh Canada! Sabe aquela expressão “o chão abriu sob os seus pés”? Pois neste brinquedo a coisa é literal: fica-se em pé em uma cápsula que se abre, de repente, jogando-nos tubo abaixo, em queda livre num loop de 360º antes de chegarmos em terra firme (neste caso, água mole?), novamente.

Klondike Express de um lado (à direita), Oh Canada! do outro. Sai zureta de um e já emenda no outro!  (Foto: Cortesia do Blog Baianos no Polo Norte)

O Krazy Kanuck é outro tobogã onde você escorrega de dentro de uma bóia para quatro pessoas e vai deslizando rapidamente, deslizando para lá e para cá pelas curvas do caminho! Crianças entre 1 m a 1,20 m devem estar acompanhadas por um adulto.

Atravessando boa parte do parque, o riozinho artificial com correnteza Muskoka Soakah (ou “lazy river“) é para toda a família. Diferente do Wet’n’Wild São Paulo, aqui as bóias estão incluídas no preço do ingresso. Crianças com altura abaixo de 1 m devem estar acompanhadas por um responsável.

Pode melhorar

No geral, a experiência foi ótima, somente algumas situações a serem citadas: a desorganização do staff, principalmente com aquela situação no quiosque de comida, que foi inacreditável: eu contei, havia mais de quinze pessoas do lado de dentro e, mesmo assim, eles não conseguiam se acertar para fazer o atendimento fluir. Outras pessoas que visitaram o parque quando ele estava vazio me disseram ter passado pela mesma situação, então foi não caso isolado.

Outro episódio com o staff foi com o pessoal do Serviço ao Cliente, que não parecia informado sobre o Media Day nem sobre os benefícios que o parque oferece ou não, como o passe Wet Fast, do Wet’n’Wild São Paulo, para evitar filas (descobri, com muito custo, que o de Toronto não oferece).

Já que não tem essa opção, o pessoal se arranja como pode, furando fila na cara larga mesmo, e a granel. Pelamor, que eu nunca vi coisa igual! De crianças à famílias inteiras, o povo entra na sua frente sem um pingo de constrangimento. Houve momentos em que eu precisei ficar na fila com a Alicia no colo, nas atrações que ela poderia ir sozinha, só para garantir que a vez dela fosse respeitada, porque as crianças maiores entravam na frente dela, já na boca do brinquedo, na frente do responsável pela atração que, na maioria das vezes, fazia vista grossa.

É óbvio que coisas assim fogem do controle do pessoal do parque, mas fica o alerta.

Outro aspecto foi a questão limpeza dos banheiros familiares, que são excelentes: espaçosos e equipados com chuveiros, mas ao cair da tarde, pelo entra e sai de gente molhada, aquilo virou um lamaceiro só, incluindo o vaso sanitário e o trocador de fraldas.

Dicas para quando visitar o Wet’n’Wild Toronto

  • Tem que usar roupa de banho, jeans é proibido.
  • Crianças que ainda não desfraldaram precisam estar com fraldas de piscina.
  • Sapatos aquáticos só serão permitidos nas atrações: Big Surf, Coconut Cove, Wet’n’Wild Jr e Muskoka Soakah. Eu vi algumas crianças com eles mas acredito que devam atrapalhar na hora de escorregar nos tobogãs, por exemplo. Eu levei os da Alicia mas só os colocava quando precisávamos fazer uma boa caminhada entre um brinquedo e outro;
  • Comida: no site, eles dizem que não é permitida a entrada de alimentos ou bebidas de fora, com exceção de uma garrafa plástica de água (fechada ou daquelas reutilizáveis) e alimentos para pessoas com alergias alimentares, diabéticos ou papinhas para crianças. Mas, como comprovar tudo isso ali na entrada, na hora da muvuca? Pois é. Então, vale o bom senso: snacks simples para as crianças, nada de frango com farofa!
  • Venda e consumo de bebidas alcóolicas: só para maiores de 19 anos e nada de sair zanzando de copo na mão. Elas deverão ser consumidas nos espaços onde são vendidas, como o bar na frente da piscina Coconute Cove.
  • Apesar do nome ser o mesmo, o Wet’n’Wild Toronto não pertence à mesma organização que controla o Wet’n’Wild São Paulo e há diferenças entre eles, como as que eu menciono no post, além de o daqui não ter lugar para esquentar papinhas e não cobrar pelo uso de bóias, como acontece no do Brasil;
  • As cabanas também são diferentes, oferecendo: duas espreguiçadeiras, sofá e mesinhas e serviço de bar diferenciado. Para até 8 pessoas, ao custo de C$ 175, de segunda a quinta-feira e C$ 225, de sexta a domingo e feriados, mais impostos. Localizadas em três áreas bem estratégicas do parque: na frente das principais atrações para crianças pequenas (Wet’n’Wild Junior e Bear Footin’ Bay) e próximo ao Big Surf Wave, a piscina com onda;
  • Guarda-volumes: disponíveis em três tamanhos: pequeno ($15), médio (C$ 20) e grande (C$ 25). Eu levei uma bolsa grande, mochila e, claro, penico, e o tamanho médio acomodou tudo muito bem;
  • O Wet’n’Wild funciona mesmo em dias de chuva, suspendendo as operações quando houver risco de segurança, como tempestades com raios, por exemplo, e voltando a operar assim que o tempo permitir. Parece que havia uma política de ressarcimento no caso de o parque ter de fechar as portas por causa de tempo inclemente mas, de acordo com o site e a Assessoria de Imprensa do parque, ela não existe mais, uma pena;
  • Preços: o parque oferece várias opções de ingressos e promoções. Aqui, o preço online e sem os impostos de 13%: C$ 34,95 (adultos) e C$ 31.95 (idosos acima de 60 anos e crianças abaixo de 1,22 m e até 3 anos de idade);
  • Dias e datas de funcionamento: Em 2018, de 1 de julho a 3 de setembro, entre 10:30h às 19h, com alterações em determinados dias.

Enfim, nossa aventura no Wet’n’Wild Toronto foi assim. Escolhendo as fotos para este post, deu vontade voltar. Sinal de que gostamos! Espero que goste também!

 

Wet’n’Wild Toronto

7855 Finch Ave West, Brampton

 

Fotos: Todas as fotos do post pertencem ao blog Alicia e Outros Papos, exceto quando especificado. Obrigada, Livi do blog Baianos no Polo Norte, pelo socorro! Também tem post sobre o parque por lá, deem uma checada! 

 

 

 

 

5 Comments

  1. Adorei seu post, principalmente as informações relacionadas a brinquedos para as crianças hahahaha confesso que eu tb não tenho paciência para gente que não sabe respeitar fila ou o espaço alheio. Mas que bom que no geral a experiência foi positiva! Com certeza vamos nos programar pra ir. Beijossssss Ale

    1. Alessandra Cayley

      Que bom que gostou e te deu vontade ir também! Beijo enorme!

  2. Ola..
    Adorei o post.. assim como adoramos o dia e adoramos te-los conhecido por la!
    Um abraço:)

    1. Alessandra Cayley

      Faço minha as suas palavras! Obrigadão por passar por aqui!

    2. Alessandra Cayley

      Olá! Que bom que gostou, tbm adorei o seu! Foi um dia muito bom, incluindo ter conhecido vocês. Beijo grande e até outro dia, outro evento! Bjs

Leave a Reply

Required fields are marked*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.