Outros Papos, Testamos (e Aprovamos?)

Dicas para dirigir na neve

 

Dia cinzento de neve, bem assim, sem filtro na foto. Uma beleza dirigir na lama…

Hoje nevou o dia inteiro. Não deveria causar surpresa, já que estamos no meio do inverno. Mas causa, sempre. E mau humor, e mudanças de planos, e acidentes. Depois de um final de semana com a Alicia doente, levei-a para a creche e ia trabalhar de casa, porque não gosto de dirigir com este tempo. Mas, mudanças de planos: tive que ir ajudar meu marido a buscar um carro num cliente (temos uma oficina de reparos de transmissão de veículos). Agora estou no quentinho do meu escritório e o mau humor está passando. E não houve acidentes, com a gente, mas haverão dezenas deles, noticiados mais tarde na TV.

Tem uma expressão e um adjetivo muito usados por aqui, que eu gosto bastante e que definem a neve na minha vida: love-hate relationship e bittersweet, respectivamente: relação de amor e ódio e agridoce. Ao mesmo tempo que eu acho a neve um fenômeno esplêndido, a detesto na mesma proporção, porque a temo. Tenho pavor de dirigir na neve, apesar de ser até legal, contanto que não haja nenhuma alma viva, árvores ou propriedades num raio de 10 quilômetros ao meu redor.

Dirigir na neve é uma experiência ímpar: não é igual dirigir na areia. É escorregadio e barulhento e a sensação de falta de controle é aterrorizante. Você se sente dirigindo num rinque de patinação. Eu já presenciei acidentes onde um carro começa a deslizar para o lado, do nada, como se tivesse vida própria e decidisse que agora é um carrinho bate-bate. Ou decide que a curva tem que ser beeeeeeeeeeeeeem mais aberta do que o pobre do motorista gostaria.

Mas há quem goste de dirigir nestas circunstâncias, como meu marido, que um dia deu um cavalo de pau em frente à nossa casa, comigo dentro. Detalhe: moramos num condomínio fechado, com ruas estreitas, cercados de árvores e vizinhos com carros zero por todo lado. Quase enfartei.

Em dia de neve, eu dirigo à la Mr. Magoo. Pode xingar, buzinar, mostrar o dedo, eu não vou ver mesmo, porque vou estar de nariz grudado no vidro, olhando para frente e à 20 por hora. Até 10, se achar que é preciso.

Há razões para tanto comedimento: primeiro, claro, minha vida e da minha família. Segundo, o carro em si e terceiro, o preço do seguro de veículo. Ele é calculado de acordo com o tempo de habilitação e a performance do condutor. Se meter num acidente é ver o valor do seguro triplicar.

Diria que um dos maiores pavores do canadense é se envolver em acidente ou ser pego dirigindo embriagado. Daí, é trabalhar para pagar seguro de carro, que é mandatório, diga-se de passagem.

Foto: toronto.ctvnews.ca

Portanto, se precisar dirigir na neve, lembre-se:

  • Ao começar a dirigir, acelere o menos possível. Deixe a tração te levar e vá acelerando aos poucos.
  • Dê-se mais tempo que o normal para chegar ao destino.
  • Se o carro deslizar, segure firme no volante, acelere o mínimo possível (ou nada, use o momento do carro) e tente consertar a trajetória do veículo olhando para o lado em que deseja que o carro vá. Parece óbvio mas a tendência é de olharmos para o lado em que o carro está nos levando. Esta dica é de um instrutor de condução, quando tirei minha carteira de habilitação daqui.
  • Se o carro atolar, a mesma coisa: acelere o mínimo possível e tente usar a tração dos pneus para sair, literalmente, do buraco. Se já estiver atolado, ligue o pisca-alerta e peça ajuda.

Precisa guinchar? Aqui, seguro de carro não dá direito a serviço de guincho mas há uma empresa chamada CAA (Canadian Automobile Association) que é especializada nesta cobertura. Paga-se uma anuidade e tem-se direito a um determinado número de guinchos e assistência de emergência, de acordo com o plano escolhido. O legal é que o veículo não precisa estar no nome do condutor. Eu posso ter CAA, por exemplo, e guinchar o carro de um amigo, contanto que eu esteja presente no momento da coleta do carro.

Mão na roda para quem é pego desprevenido. Só não vale pedir este tipo de favor para amigo de Facebook, vamos combinar?

 

Leave a Reply

Required fields are marked*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.